conecte-se conosco


Geral

Aulas presenciais voltam em setembro no Paraná, terão rodízio semanal com ensino remoto, diz governo

A volta será no mês de setembro, ainda não há definição sobre início ou fim de setembro

Publicados

em

As aulas presenciais voltarão em setembro no Paraná, segundo o diretor-geral da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Gláucio Dias. O ensino presencial está suspenso desde 20 de março no estado.
“A volta será no mês de setembro, ainda não há definição sobre início ou fim de setembro. Isso será definido nos próximos 15 dias”, afirmou o diretor-geral.
Segundo ele, mesmo assim é possível que o desenvolvimento da pandemia altere a retomada. Dias afirmou também que as aulas poderão voltar no estado todo ou em parte das regiões.
O protocolo de volta às aulas no Paraná, prevê a divisão dos alunos em grupos que se revezarão semanalmente entre aulas online e presenciais. O documento foi aprovado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Veja as regras mais abaixo.
O retorno será feito de forma gradual, primeiro com os alunos do 3º ano do ensino médio e do 9º ano do fundamental.
“É mais fácil de estabelecer um sistema de organização completamente diferente a partir dos alunos que têm mais maturidade para entender o contexto que estamos vivendo”, explicou o diretor-geral da Seed.
O ensino híbrido valerá para alunos a partir do 6º ano do ensino fundamental. Mesmo assim, os responsáveis poderão mandar o estudante para a escola ou não. Eles assinarão um termo de consentimento para aulas presenciais.
Nas redes municipal, até o 5º ano do ensino fundamental, e particular o método será facultativo. Ou seja, as instituições poderão optar por ficar somente no ensino remoto, sem as aulas presenciais, conforme o comitê estadual que elaborou o protocolo. Porém, as regras para ensino presencial precisarão ser respeitadas.
O grupo, que foi criado em junho para discutir o retorno das atividades presenciais nas escolas, é formado por representantes de escolas públicas e privadas, Ministério Público, professores, pais e alunos.
Na rede estadual, os alunos têm aulas remotas desde abril. No início de julho, o governador Ratinho Junior, afirmou que dificilmente o retorno ocorreria antes de setembro.

O que diz o protocolo?
Os estudantes serão divididos em grupos, que farão revezamento permanecendo por uma semana em aulas presenciais e por uma semana em aulas remotas.
As aulas remotas permanecem diariamente e as aulas presenciais ocorrerão de forma escalonada.
O número máximo de pessoas em cada sala deverá respeitar o distanciamento mínimo de 1,5 m.

As instituições de ensino deverão organizar escalas para que todos as turmas sejam atendidas presencialmente pelo menos uma vez na semana.
Os horários de entrada e saída, e intervalo/recreio devem ser redefinidos e intercalados, de modo a evitar a aglomeração de pessoas e a circulação simultânea de grande número de alunos, nas áreas comuns e nos arredores do estabelecimento.
Os horários do recreio e parque devem ser organizados de forma escalonada, necessitando de limpeza a cada troca de turno e sempre que possível, após os intervalos.

Escalonar o horário de ida aos banheiros

Sugere-se que estudantes e professores tragam lanche de casa e comam em suas próprias mesas. No caso dos estudantes, receberem a merenda da escola, a distribuição deverá ocorrer de forma escalonada, prevendo limpeza prévia do local e respeitando o distanciamento mínimo recomendado para que não haja aglomeração no ambiente.
As Instituições de ensino deverão limitar o acesso às suas dependências somente às pessoas indispensáveis ao funcionamento que não apresentem fatores de risco e com uso de máscara.
O atendimento ao público será feito de forma online ou via telefone. Caso seja necessário atendimento presencial, este deverá ser previamente agendado.

Nivelamento EAD: realizar atividades a fim de fortalecer a retomada de conteúdo, de recuperação escolar e de atendimento aos estudantes com maiores dificuldades.

Quem volta primeiro?

O retorno deverá ocorrer de maneira escalonada, por região do estado, conforme desenvolvimento da pandemia, respeitando a decisão da Secretaria de Estado da Saúde, na seguinte ordem:

Estudantes do 3º ano do ensino médio e 9º ano do ensino fundamental
Estudantes do ensino médio
Estudantes do ensino fundamental I e II
Estudantes da educação infantil

Retorno dos estudantes menores de dois anos não ocorrerá, devido à dificuldade de cumprimento das normas. Instituições privadas deverão elaborar um plano específico para sua rede.
Protocolo prevê possibilidade de fechamento das instituições de ensino por regiões, conforme desenvolvimento da pandemia e respeitando a decisão da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

O que acontece em caso de contaminação?
Caso ocorra contaminação entre estudantes ou de professores, a instituição deverá ser interditada por 14 dias, retornando para o modelo de aulas 100% online durante este período.
Triagem de temperatura será realizada diariamente por meio de termômetros infravermelhos sem contato direto com a pele.
Caso a verificação da temperatura registrada esteja maior ou igual a 37°C, o estudante deverá ser isolado, e a instituição de ensino deverá entrar em contato com os responsáveis a fim de buscarem atendimento médico.

Quais são as regras de higienização?

Orientar os alunos sobre a higienização correta das mãos, sabão e água ou álcool gel 70%.

O uso de máscara de tecido, que será fornecida pelo governo, será obrigatório para todas as pessoas nas Instituições de ensino. Recomenda-se a troca de máscara a cada 2 horas ou sempre que ela estiver úmida ou suja.
Reforçar a higienização de superfícies que são tocadas por muitas pessoas, como grades, mesas, carteiras, puxadores de porta e corrimões, antes do início das aulas, em cada turno e sempre que necessário.
Manter janelas e portas abertas a fim de melhor ventilar os espaços. O uso do ar condicionado e ventilador deve ser evitado, mas caso seja necessário, caberá à instituição de ensino a verificação, manutenção e higienização rigorosa desses equipamentos

Quais são as regras para o transporte escolar?

Os veículos de transporte escolar deverão reforçar as medidas de higienização do interior dos automóveis e do sistema de ar condicionado.
O limite máximo de ocupação será de 50% da capacidade, sendo obrigatório o uso de máscaras, por todos os integrantes do veículo, durante todo o trajeto.
As mochilas devem ser higienizadas no momento da retirada do veículo, antes da entrega para a criança, professor ou pais/responsáveis.

De acordo com o diretor-geral da Seed, haverá uma pesquisa com os mais de 1,1 milhão de responsáveis pelos alunos a fim de saber se há o interesse ou não de que retornem às aulas presenciais.Pelo protocolo, as escolas deverão contabilizar quantos estudantes retornarão às aulas presenciais e quantos continuarão no ensino online.

Compra de materiais
Ainda segundo o protocolo, o governo estadual deverá disponibilizar 400 mil litros de álcool gel e 70% por mês, além de fornecer 5,1 milhões de máscaras de tecido, 10 mil termômetros, entre outros itens de segurança e prevenção.

Fonte RPC / Portal do Vale

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Volta às aulas em escolas municipais estão descartadas no Paraná neste momento
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Polícia identifica homem acusado de matar e assar cão em forno; assista ao vídeo

Publicados

em

 

 

Polícia identifica homem acusado de matar e assar cão em forno; assista ao vídeo

 

O suspeito teria comido partes do animal e oferecido a vizinhos. Policiais foram até a casa do suspeito, na manhã desta quinta-feira (6)

Policiais foram até a casa do suspeito na manhã de hoje. Foto: Banda B
A Delegacia do Meio Ambiente conseguiu identificar um homem acusado de matar a chutes e assar no forno um cão comunitário da região do bairro Alto Boqueirão, em Curitiba. O suspeito teria comido partes do animal e oferecido a vizinhos. Policiais foram até a casa do suspeito, na manhã desta quinta-feira (6), mas ele não estava. Vídeos (abaixo) mostram o homem carregando o cão até a casa dele.

 

 


A informações sobre a morte do cão foi feita por meio de uma denúncia anônima. Para a Banda B, o delegado Matheus Laiola disse que o cão foi morto a chutes e depois carregado por esse homem. “Uma situação extremamente revoltante, recebemos uma informação de que um homem teria matado um cão a chutes e assado esse cão para comer, inclusive, oferecendo a outras pessoas. Viemos até o local, não o encontramos, já tem passagens”, contou.
Segundo o delegado, ao chegar na casa onde esse homem vive, policiais encontraram partes do cachorro no forno. “A cena é surreal, quando a gente chega na casa já vê marcas de sangue e pedaços do animal pela casa, um cheiro muito forte, abrimos um forno e lá tinha carcaça do animal”, descreveu.
O vizinho João Zanca, que tem três cães no quintal, disse que o suspeito vive em uma casa onde acontecem constantes brigas. “O cara é doente, só pode. Ninguém sabia que ele tinha feito isso. Esse cara mora aqui há quase dois anos, tem o pai e o irmão dele, mas brigam muito, nem sei se moram mais aqui. De certo estava passando fome, sei lá. Mas, todo mundo dava comida pra ele, cesta básica”, descreveu.
O delegado rechaça a versão de que o suspeito estivesse com fome. “Não era por fome, não. Maldade dele, mesmo”, garantiu o Matheus Laiola.
A Polícia Científica foi acionada para periciar a casa. “É um crime de maus tratos, será ouvido, vai assinar um Termo Circunstanciado e liberado por força da lei, que ainda, infelizmente, é muito branda por saber o quanto esse animal sofreu”, finalizou o delegado responsável pelas investigações.

Colaboração TV Caiuá

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Menor é apreendido dirigindo carro com quase 700 kg de maconha, diz PRF
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA