conecte-se conosco


Geral

Com rampas fechadas, pescadores se arriscam para ter acesso ao Rio Paraná

Publicados

em

Com rampas fechadas, pescadores se arriscam para ter acesso ao Rio Paraná

Em Porto Camargo, os pescadores estão acessando o Rio Paraná através do Ribeirão do Veado

As rampas de acesso ao Rio Paraná, no Porto Camargo, foram fechadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente na semana passada por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus. Entretanto, isso não tem impedido o acesso dos pescadores ao rio.
A reportagem recebeu informações na manhã desta quinta-feira (4) de que os pescadores estão burlando as regras e acessando o Rio Paraná por meio do Ribeirão do Veado, que fica ao lado da rampa de acesso ao Paranazão.

Com as chuvas das últimas horas algumas embarcações que estavam no rio chegaram a virar, mas não houve vítimas.
Fato é que a pesca está liberada desde o último domingo (28), conforme Instrução Normativa do Ibama nº 25/2009, em que a maioria dos peixes nativos já cumpriram sua fase reprodutiva. Porém, por conta do avanço da pandemia e do decreto estadual 6.983/2021, o apelo das autoridades é para que os pescadores evitem sair para pescar e respeitem as medidas restritivas de contenção da Covid-19.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente de Icaraíma, Edson, algumas pessoas e pescadores profissionais tem acesso ao rio por meio de suas propriedades rurais e, por isso, saem para pescar. Lembrando que a pesca está liberada. O que está proibido são aglomerações nas rampas de acesso e isto está fechado. “Flagramos algumas pessoas, tentando atravessar, mas orientamos e não tivemos mais nenhum problema”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Deputado Rubens Bueno defende faróis acesos nas rodovias, mesmo sem exigência legal
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Pentágono confirma que vídeo com OVNIs em forma de pirâmide é autêntico

Publicados

em

O Pentágono confirmou, na terça-feira, 13, que são reais as imagens divulgadas em um vídeo sobre objetos voadores não identificados (OVNIs) no céu da Califórnia, nos Estados Unidos. Em abril de 2020, o governo americano havia retirado o sigilo dos vídeos gravados de um navio da Marinha.
O vídeo foi publicado pelo documentarista Jeremy Corbell em seu Twitter na semana passada. Nas imagens gravadas com algum equipamento de visão noturna é possível ver ao menos três objetos triangulares no céu. Um deles parece emitir alguma luz que fica piscando.
Na mensagem, Corbell diz: “A Marinha dos Estados Unidos fotografou e filmou OVNIs em forma de “pirâmide” e veículos transmédios avançados “esféricos”; aqui está a filmagem.” De acordo com Corbell, o vídeo foi feito em julho de 2019.

 

 

A imagem mostra os OVNIs se movendo rapidamente enquanto eram gravados por câmeras com sistema infravermelho (térmicas). Em dois dos vídeos, é possível ouvir a reação dos responsáveis pela gravação, que parecem assustados com a velocidade de movimento dos objetos. Um deles questiona se aquilo poderia ser um drone.


De acordo com o especialista em OVNIs e porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Sue Gough, em entrevista ao site Mystery Wire, o vídeo foi gravado por oficiais do navio USS Russell e que os objetos eram similares a “pirâmides voadoras”.

 

Leia Também:  Quarto Centenário: Nenhum morador atualmente infectado com o novo coronavírus.

 

Apesar de o vídeo ter a autenticidade comprovada, Sue Gough não confirma que os objetos são reais. Em entrevista ao portal Futurism, ela destaca apenas que o registro está entre as pesquisas em andamento.

A Marinha dos EUA reconheceu a veracidade das imagens em setembro de 2019. Elas foram divulgadas, ano passado, “para esclarecer qualquer equívoco por parte da população sobre se as imagens que circulavam eram reais, ou se há ou não mais vídeos”, ainda de acordo com Sue Gough.
“Após uma revisão minuciosa, o departamento determinou que a divulgação autorizada desses vídeos secretos não revela quaisquer recursos ou sistemas delicados”, disse Gough em nota, acrescentando que “não infringe qualquer investigação subsequente de incursões militares espaciais”, afirmou Gough à CNN, em abril de 2020. (Com agências internacionais)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA