conecte-se conosco


Geral

Cruzeiro do Oeste: idoso morre atropelado quando seguia montado em um cavalo pela rodovia

Publicados

em

Um homem de 71 anos morreu atropelado por um veículo enquanto seguia montado em um cavalo pela rodovia BR 487, entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste. O acidente ocorreu por volta das 04:40 horas de hoje.
Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram acionados para atender o acidente e encontraram o idoso já sem vida no local. Ele foi atropelado por um veículo VW/Jetta, conduzido por um homem de 37 anos, que seguia sentido a Cruzeiro do Oeste.

Segundo levantamentos preliminares, o cavaleiro estava transitando sobre a pista no momento da colisão. Com o impacto, tanto o idoso quanto o animal não resistiram aos ferimentos e morreram no local.
O condutor do Jetta não se feriu. Ele foi submetido ao teste de alcoolemia que não indicou a presença de álcool. A PRF fará o Boletim de Acidente de Trânsito e o remeterá à autoridade policial local.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Em 24 horas, Goioerê registra 9 casos de Covid: tem ainda outros 31 suspeitos
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Casal reforma casa — e acha 66 garrafas de uísque de 100 anos no chão e paredes avaliado em cerca de 300 mil reais

Publicados

em

Quando um casal americano foi informado de que sua casa de mais de 100 anos foi construída por um famoso contrabandista de bebidas, eles acreditaram se tratar de uma lenda.
Mas durante uma recente reforma em uma casa, o casal descobriu algo que revelou que a aparente “lenda urbana” era real. Eles encontraram pelo menos 66 garrafas de uísque escocês envelhecido em mais de 100 anos, dos tempos da Lei Seca, camuflados nas paredes e pisos do imóvel.
No início de outubro, Nick Drummond e Patrick Bakker disseram ter encontrado mais de 66 garrafas de uísque da era da Lei Seca escondidas nas paredes e no assoalho de sua casa, que foi construída em 1915.

 

“Nossas paredes estão cheias de pacotes de bebida!” Drummond, que documentou a descoberta inesperada em uma série de postagens nas redes sociais, escreveu em seu Instagram. “Eu não posso acreditar que os rumores são verdadeiros! Ele era na verdade um contrabandista!”

 

O casal estava morando na casa situada no pequeno vilarejo de Ames, localizado a cerca de três horas de distância da cidade de Nova York, por pouco mais de um ano, antes de decidirem iniciar uma grande reforma há dois meses.
Drummond, um designer e preservacionista histórico, disse à CNN que estava removendo um rodapé quando um pacote misterioso caiu.
“Eu perguntei: o que é isso? Estou muito confuso”, disse ele. “Estou olhando e há feno por toda parte, há papel e vidro. Então vejo outro pacote e há uma garrafa de uísque”.
Drummond continuou a encontrar mais pacotes de uísque contrabandeado sob as tábuas do piso e disse que o casal segue encontrando mais garrafas.

 

Leia Também:  Prefeito eleito de Boa Esperança iniciou processo de transição

 

 

“Inicialmente, encontramos sete pacotes de seis na parede e, então, naquele ponto, encontramos mais quatro pacotes e há menos de uma semana encontramos mais”, disse Drummond.
A bebida é um uísque escocês rotulado como Old Smuggler Gaelic, que ainda é feito até hoje. Cada garrafa foi embrulhada em papel de seda e palha e empacotada em um pacote de seis, disse Drummond.

 

O proprietário original da casa era um homem alemão conhecido como Conde Adolph Humpfner.
Depois de pesquisar artigos de jornais e vários sites jurídicos, Drummond descobriu que Humpfner era conhecido por ser um homem misterioso na cidade e participou de muitos escândalos. Ele morreu de morte súbita e deixou para trás a bebida contrabandeada, bem como uma fortuna fortemente disputada.
A série de descobertas levou Drummond a continuar documentando a reforma de sua casa nas redes sociais. Seguidores têm procurado participar do aprendizado de uma nova história sobre a casa e seu proprietário contrabandista.

O casal planeja deixar as garrafas que encontrou vazias (ou com a bebida evaporada) preservadas em casa – e vender as que encontraram cheias. As garrafas cheias são estimadas em um valor de cerca de US$ 1.000 (cerca de R$ 5.300) cada, disse Drummond.
O casal disse que vai guardar uma das garrafas cheias de uísque para provar.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA