conecte-se conosco


CAMPINA DA LAGOA

Governo lança campanha contra assédio em ambiente de trabalho

Publicados

em

Governo lança campanha contra assédio em ambiente de trabalho

Manter o ambiente de trabalho saudável é uma das diretrizes do Programa de Integridade e Compliance, do Governo do Paraná, coordenado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE). Na segunda-feira, 02 de maio, Dia Nacional de Combate ao Assédio Moral, o órgão lança sua campanha de combate ao assédio, para que todos os servidores saibam o que fazer caso ocorra uma situação de constrangimento moral ou sexual.
Para abrir a semana será realizado webinar com a professora da Unicentro Ariane Pereira, jornalista, doutora em Comunicação e Cultura. A palestra “As múltiplas faces do assédio” será transmitida no canal CGE PR no YouTube, segunda-feira (02), às 14h30.
A organização é da Coordenadoria de Desenvolvimento Profissional da CGE, em parceria com a Escola de Gestão da Secretaria da Administração e da Previdência. O evento virtual é direcionado aos servidores estaduais e está aberta aos cidadãos.
A campanha também inclui distribuição, em órgãos e entidades do Governo do Estado, de cartazes e cartilhas que detalham tipos de assédios e suas consequências. A cada semana, no mês de maio, será divulgado um vídeo diferente, produzido por servidores da CGE, com o objetivo de sensibilização com relação ao tema. Os vídeos estarão disponíveis no Instragram da CGE (@cge_pr).

 

PANDEMIA
O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, explicou que a ansiedade e as turbulências causadas pela pandemia podem refletir no trabalho e todos precisam estar atentos. “O Governo do Paraná não admite assédio de qualquer tipo e preza pela boa gestão em todos os órgãos estaduais e pelo ambiente saudável. É um assunto que precisa ser debatido para que o respeito e a cooperação prevaleçam na rotina dos servidores”, declarou.
Para o coordenador de Integridade e Compliance, Paulo Palacios, o assédio, moral ou sexual, em ambiente de trabalho compromete a qualidade do serviço e abre vulnerabilidade para outros desvios de conduta. Atualmente, o programa já começa a ser implantado em 46 órgãos e entidades do Estado e mais 7 mil servidores foram entrevistados.
“O compliance se concentra na manutenção do local de trabalho saudável. O constrangimento e as tensões provocadas por abordagens impróprias afetam não só a saúde mental da vítima do assédio como compromete as relações de trabalho de todo o setor”, informou.
As cartilhas que serão distribuídas têm suas versões online disponíveis no site da CGE e podem ser acessadas por todos os cidadãos. Nelas está esclarecido quais atitudes ou comportamentos são considerados assédio.
“Se existe constrangimento é porque alguma coisa está errada e precisa ser corrigida. Porém, para se caracterizar assédio moral, por exemplo, é necessária a repetição da conduta”, resumiu o coordenador.
DENÚNCIAS
Os servidores da administração pública do Paraná que se sentirem vítimas de assédio sexual ou moral devem procurar a Ouvidoria-Geral (veja canais abaixo). Por meio do registro da denúncia é possível corrigir a situação e, se for o caso, punir o culpado, seja com advertência ou até exoneração ou demissão.
Porém, muitas denúncias na Ouvidoria-Geral chegam sem informações suficientes para que um processo seja aberto ou qualquer outra providência possa ser tomada. O diretor de Auditoria, Controle e Gestão, Gil Souza, esclareceu que gravações, fotos, mensagens ou outro tipo de prova material são importantes para dar seguimento ao processo.
“Quanto mais provas forem recolhidas, incluindo relato de testemunhas, mais força terá a denúncia, o que pode ser a diferença entre a condenação ou não do assediador”, completou.
As denúncias de assédio sexual ou moral são centralizadas nos ouvidores, que recebem as informações da vítima ou de colegas dela. “A Ouvidoria acolhe a pessoa vítima de assédio e orienta quais procedimentos adotar, a depender da gravidade da situação”, disse o coordenador de Ouvidoria, Yohhan Souza.
A Ouvidoria-Geral recebe as denúncias por formulário online, disponível no site da CGE, e, em todos os sites do Governo do Estado, há o contato para a Ouvidoria.
Serviço:
Internet: Formulário online
Telefone: 0800 041 1113
WhatsApp: (41) 3883-4014
E-mail: [email protected]
Agência Estadual de Notícias

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fatalidade: Boi invade pátio de escola e deixa 14 crianças feridas
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAMPINA DA LAGOA

Mulher recebe planilha de Excel com cobrança de gastos do primeiro encontro

Publicados

em

Mulher recebe planilha de Excel com cobrança de gastos do primeiro encontro
Silvia Vasconcelos saiu do rolê com uma dívida de R$ 45,55 e um grande ranço do homem; vídeo sobre o caso viralizou no TikTok
Silvia Vasconcelos viralizou no TikTok ao contar uma fofoca inusitada sobre si mesma: ela recebeu uma planilha de Excel com a cobrança de gastos do primeiro encontro dias depois de ter saído com seu agora ex-crush.
Há um mês, a jovem publicou um vídeo na rede social em que conta a situação. Na gravação — que tem mais de 144 mil visualizações e quase 8.000 curtidas — há um print da conversa entre os dois, em que é possível ver a planilha montada pelo homem e detalhes dos gastos de cada um.

“Diária Airbnb: R$ 174. Hambúrgueres: R$ 52. Café: R$ 74,49. Breja: R$ 60,42”, eram algumas das despesas listadas por ele no documento. Resultado: Silvia ficou com uma dívida de R$ 45,55 e um grande ranço do boy — tanto que parou de segui-lo nas redes sociais.
Diante da repercussão do caso, ela fez uma nova publicação com os detalhes do que aconteceu. Silvia destacou ainda que houve diversos comentários machistas no primeiro vídeo e afirmou que o problema não é dividir a conta do rolê — mas sim fazer a cobrança depois que o encontro aconteceu, sem nenhuma conversa prévia sobre o assunto.
“Não há problema nenhum em dividir a conta, desde que ela [divisão] aconteça no ato do encontro, não depois”, disse. “E sim, eu paguei os R$ 45,55 porque o moço parecia mais necessitado do que eu. E não, eu não sai nunca mais com esse homem e ele ainda reclamou quando eu parei de seguir ele. O que mostra que não era [uma pessoa] nada legal”, finalizou.
R7

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Família é flagrada carregando a sogra no porta-malas do carro
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA