conecte-se conosco


Geral

Morador encontra cobra jararaca dentro de casa. A serpente é venenosa, e sua picada pode inclusive levar a pessoa à morte

Publicados

em

Animal foi capturado, colocado em uma garrafa e levado a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente do município.

 

 

 

 

Um morador de Luiziana, distante 32 quilômetros de Campo Mourão, levou um grande susto na manhã desta segunda-feira (13) após encontrar uma cobra jararaca no interior de sua residência. A serpente é venenosa, e sua picada pode inclusive levar a pessoa à morte.

 


A cobra foi encontrada pelo líder comunitário Nilton Tasca, na cozinha de sua casa. “Levamos um grande susto porque esta espécie é bastante venenosa. Se tivesse alguma criança ou até mesmo animal próximo poderia ser picado”, afirmou o morador, ao comentar que suas duas netas pequenas estão em casa e que poderia ter ocorrido o pior.
Tasca reside na entrada da cidade para quem segue de Campo Mourão. Ele acredita que o animal estava em um terreno baldio que está tomado por mato, ao lado de sua residência. O morador comentou que a cobra deve ter entrado na casa pela madrugada.

“Acordamos de manhã e ela estava na cozinha. Minha esposa até achou que fosse uma minhoca, mas quando fui ver percebi que se tratava de uma jararaca”, afirmou. Segundo ele, a serpente aparenta ser filhote, e tinha entre 10 a 15 centímetros. “Acho que por causa da nossa presença o animal estava bastante agressivo”, frisou.
Tasca capturou o animal que foi colocado em uma garrafa e levado ao Instituto Ambiental de Campo Mourão, que solicitou a ele que levasse à Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente do Município para ser solto à natureza. “A minha preocupação é que a mãe dela esteja por perto com mais filhotes”, falou.

Leia Também:  Aulas presenciais voltam em setembro no Paraná, e terão rodízio semanal com ensino remoto, diz governo

O morador afirmou que os terrenos com mato alto na localidade são de particulares. Além de cobras, o mato pode atrair outros animais peçonhentos como escorpiões e aranhas, além de ratos e baratas, entre outros insetos. “É um verdadeiro descaso o proprietário deixar chegar a esta altura. A prefeitura poderia fiscalizar mais também e fazer a limpeza cobrando posteriormente do proprietário”, comentou Tasca revoltado. Segundo ele, frequentemente são encontrados escorpiões na localidade.
O morador lembrou que o local é bastante frequentado por pessoas de outras cidades que visitam a gruta de Santa Paulina. “Mais um motivo para a prefeitura providenciar o mais rápido possível a limpeza destes lotes, porque várias pessoas podem correr risco de serem picadas a qualquer momento por um animal peçonhento”, cobrou, ao lembrar ainda do problema da dengue. “O terreno com mato alto só serve para juntar lixo, e neste período crítico de dengue, a situação só colabora para proliferação do mosquito [Aedes aegypti]”, acrescentou.

Jararaca
A jararaca (Bothrops jararaca) é uma serpente venenosa que pertence à família Viperidae (Subfamília Crotalinae) e pode ser encontrada no Brasil nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia em ambientes de Mata Atlântica, Cerrado e áreas antrópicas ? mais comum em áreas rurais perto de plantações, mas também podem aparecer em áreas periurbanas.
Possui um padrão de escamas bem caracterizada por desenhos dorsais em “V” invertido escuros bem destacados, orlados de cores mais claras, corpo delgado tendo em media 120 cm de comprimento. Há variação nas cores ao longo de sua distribuição geográfica, com indivíduos apresentando tons cinza, pardo-esverdeados, amarelados e marrons. Geralmente o ventre é claro com manchas irregulares. A jararaca é ativa durante a maior parte do ano e as fêmeas tendem a serem maiores e mais pesadas do que os machos da espécie.
Por Walter Pereira

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Polícia identifica homem acusado de matar e assar cão em forno; assista ao vídeo

Publicados

em

 

 

Polícia identifica homem acusado de matar e assar cão em forno; assista ao vídeo

 

O suspeito teria comido partes do animal e oferecido a vizinhos. Policiais foram até a casa do suspeito, na manhã desta quinta-feira (6)

Policiais foram até a casa do suspeito na manhã de hoje. Foto: Banda B
A Delegacia do Meio Ambiente conseguiu identificar um homem acusado de matar a chutes e assar no forno um cão comunitário da região do bairro Alto Boqueirão, em Curitiba. O suspeito teria comido partes do animal e oferecido a vizinhos. Policiais foram até a casa do suspeito, na manhã desta quinta-feira (6), mas ele não estava. Vídeos (abaixo) mostram o homem carregando o cão até a casa dele.

 

 


A informações sobre a morte do cão foi feita por meio de uma denúncia anônima. Para a Banda B, o delegado Matheus Laiola disse que o cão foi morto a chutes e depois carregado por esse homem. “Uma situação extremamente revoltante, recebemos uma informação de que um homem teria matado um cão a chutes e assado esse cão para comer, inclusive, oferecendo a outras pessoas. Viemos até o local, não o encontramos, já tem passagens”, contou.
Segundo o delegado, ao chegar na casa onde esse homem vive, policiais encontraram partes do cachorro no forno. “A cena é surreal, quando a gente chega na casa já vê marcas de sangue e pedaços do animal pela casa, um cheiro muito forte, abrimos um forno e lá tinha carcaça do animal”, descreveu.
O vizinho João Zanca, que tem três cães no quintal, disse que o suspeito vive em uma casa onde acontecem constantes brigas. “O cara é doente, só pode. Ninguém sabia que ele tinha feito isso. Esse cara mora aqui há quase dois anos, tem o pai e o irmão dele, mas brigam muito, nem sei se moram mais aqui. De certo estava passando fome, sei lá. Mas, todo mundo dava comida pra ele, cesta básica”, descreveu.
O delegado rechaça a versão de que o suspeito estivesse com fome. “Não era por fome, não. Maldade dele, mesmo”, garantiu o Matheus Laiola.
A Polícia Científica foi acionada para periciar a casa. “É um crime de maus tratos, será ouvido, vai assinar um Termo Circunstanciado e liberado por força da lei, que ainda, infelizmente, é muito branda por saber o quanto esse animal sofreu”, finalizou o delegado responsável pelas investigações.

Colaboração TV Caiuá

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Propaganda Eleitoral pelo Facebook depende de cadastro
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA