conecte-se conosco


Geral

Prefeitura de Guarapuava adota lockdown até o fim do mês para conter onda de Covid-19

Publicados

em

Em virtude da atual situação epidemiológica da cidade, que aponta uma aceleração expressiva do aumento no número casos ativos de COVID-19, taxa de mortalidade e lotação de leitos de UTI, a Prefeitura de Guarapuava, na região Central do Estado, resolveu adotar adotar novas medidas restritivas de duas semanas começando da 00h desta quarta-feira (19) seguindo até o final do mês, 31 de maio. As restrições foram anunciadas durante a live desta segunda-feira (17), nas redes sociais da Prefeitura.

“A pandemia tem atingido proporções assustadoras e isso tem causado um colapso e sobrecarga no sistema de saúde. Nossa única opção é tomar medidas drásticas para evitar a circulação das pessoas e tentar conter essa proliferação dos casos”, disse o prefeito Celso Góes (Cidadania), ao anunciar o lockdown.

Com as novas medidas, o toque de recolher passa a ser das 20h às 06h. Além disso, alguns serviços serão fechados integralmente e outros poderão funcionar condicionados a restrições de horário, ocupação, capacidade e modalidade de atendimento.

No caso de mercearias, minimercados, mercados, supermercados, hipermercados, panificadoras, açougues e lojas de conveniência, está permitido o funcionamento de segunda a sábado das 7h às 20h, seguindo o protocolo sanitário específico para esta categoria.
O setor do comércio poderá funcionar somente por delivery de segunda a sexta, das 8h às 18h.
Bares, restaurantes e similares também poderão funcionar exclusivamente na modalidade delivery, todos os dias das 8h às 00h.

Leia Também:  Tigrão Tintas recebe neste sábado,29, o “Prêmio Impacto” melhores do ano em duas categorias

O decreto prevê ainda a proibição da circulação de pessoas em praças e parques, bem como, a prática esportiva coletiva nesses espaços. As academias e quadras poliesportivas também estão proibidas de funcionar.

Serviços como salões de beleza, barbearias, clínicas de estética, e similares devem permanecer fechadas nesse período.

Todos os tipos de estabelecimentos de ensino, como escolas públicas, privadas, de ensino fundamental médio, superior e escolas de idioma, música, autoescola e similares devem funcionar somente na modalidade à distância/virtual.
O transporte público coletivo poderá funcionar diariamente das 6h às 21h, com a ocupação máxima de 50 % da capacidade total.

No caso de descumprimento das normas haverá aplicação de multas, nos valores de R$250 a R$30.000 aos infratores, conforme estabelecido no decreto. Todo valor arrecadado com as multas aplicadas está sendo revertido na aquisição de insumos para a vacinação da Covid-19.


Continuam proibidas atividades que causem aglomerações, como casas de shows, casas noturnas, cinema, eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados ou abertos. Além de reuniões com aglomeração de pessoas, encontros familiares e corporativos.
As atividades religiosas na modalidade presencial, poderão ocorrer diariamente, das 06h às 18h, limitando-se a ocupação de 25% de sua capacidade total.

Leia Também:  Brasileira descobre que seu marido e sua mãe são amantes após ficar internada

Novos leitos para Guarapuava
Durante a live de divulgação das novas medidas restritivas, o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto enfatizou a importância da iniciativa mais drástica. Além disso, o secretário anunciou que Guarapuava receberá novos leitos para auxiliar o município no combate à pandemia. “Estamos acompanhando as dificuldades da piora rápida e acentuada no número de casos no município. Queremos ampliar o serviço de saúde de Guarapuava, ativando 12 leitos no Instituto Virmond e mais 5 leitos de retaguarda de UTI, no Hospital Vicente de Paulo. Tenho certeza que essa iniciativa nas restrições será vitoriosa e que vai salvar vidas de guarapuavanos”, explanou.
Outro anuncio importante, feito durante a live pelo secretário Municipal de Saúde, Jonilson Pires, é a ampliação das linhas telefônicas do Call Center, que devido ao grande fluxo de ligações, estavam congestionadas. “Vamos conseguir ampliar e atender a toda população do município, para que os casos suspeitos não se desloquem às unidades de saúde, mas sim que liguem e façam uma triagem com mais rapidez e eficiência”, explica.

Confira o decreto completo e as orientações específicas para categoria, clicando aqui. Em caso de dúvidas, podem ser tiradas via whatsapp pelo 42 98425-8171

Bem Paraná

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

Desemprego recua em 22 estados no segundo trimestre, diz IBGE

Publicados

em

O movimento que reduziu a taxa de desemprego a 9,3%, o menor nível desde 2016, foi guiado por 22 estados, refletindo a redução disseminada do número de profissionais desocupados no segundo trimestre de 2022.

No período, outros Amapá, Ceará, Rondônia, Mato Grosso e o Distrito Federal registraram estabilidade na movimentação do mercado de trabalho, mostram dados divulgados nesta sexta-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O estado de Pernambuco registrou o maior recuo da taxa de desemprego na passagem do primeiro para o segundo trimestre: com queda de 3,5 pontos percentuais na taxa de desocupação, de 17% para 13,6%. Alagoas, Pará, Piauí e Acre também se destacaram, com quedas de cerca de 3 pontos percentuais.

Já no confronto anual, contra o segundo trimestre de 2021, todas as 27 unidades da federação  tiveram queda significativa da taxa de desocupação.

Conforme os dados da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), as maiores taxas de desocupação ao final do segundo trimestre foram apuradas na Bahia (15,5%), em Pernambuco (13,6%) e no Sergipe (12,7%), e as menores, em Santa Catarina (3,9%), no Mato Grosso (4,4%) e no Mato Grosso do Sul (5,2%).

Leia Também:  Jovem é assassinado e outro fica gravemente ferido em Campo Mourão

A pesquisa mostra ainda que 73,3% dos empregados do setor privado tiveram a carteira assinada no segundo trimestre de 2022, com destaques para Santa Catarina (87,4%), São Paulo (81,0%) e Paraná (80,9%). Na parte debaixo do ranking ficaram Piauí (46,6%), Maranhão (47,8%) e Pará (51%).

Desigualdade

O estudo revela ainda que, enquanto as taxas de desocupação das pessoas brancas (7,3%) e de homens (7,5%) ficaram abaixo da média nacional (9,3%), as das mulheres (11,6%) e de pessoas pretas (11,3%) e pardas (10,8%) continuaram mais altas no segundo trimestre deste ano.

A coordenadora de trabalho e rendimento do IBGE, Adriana Beringuy, afirma que, apesar da redução generalizada na taxa de desocupação em diversos recortes, a distância entre homens e mulheres no mercado de trabalho ainda é grande.

“A queda foi maior entre as mulheres, de 2,2 pontos percentuais, contra 1,6 ponto dos homens, porém, não foi o suficiente para diminuir a distância entre eles. A taxa [de desocupação] das mulheres é 54,7% maior que a dos homens”, lamenta Adriana.

Leia Também:  Ratinho Júnior diz que assim que vacina da Covid-19 chegar, imunização começa em até 72 horas no Paraná

O recuo disseminado da taxa de desocupação também atingiu o recorte cor ou raça. “A taxa em relação aos pretos e pardos em relação aos brancos aumentou”, explica a pesquisadora. No recorte por idade, a taxa de desocupação de jovens de 18 a 24 anos recuou de 22,8% para 19,3%. “Foi, entre as faixas etárias, onde mais caiu. Mas ainda sim, é uma taxa bastante elevada, bem acima da média”, completa ela.

Por R7

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA