conecte-se conosco


Geral

Projeto vai trazer R$ 400 milhões para Escolas do Futuro

Publicados

em

Projeto vai trazer R$ 400 milhões para Escolas do Futuro
População tem até o dia 16 de agosto para participar de uma consulta pública e opinar sobre as obras das cinco escolas, além de outras 150 instituições.
A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte desenvolveu o projeto “Educação para o Futuro”, uma ação que pode trazer mais de R$ 400 milhões para o Paraná construir cinco novas escolas. São as chamadas de “Escolas do Futuro” por seu alto grau de modernidade e conectividade.
A verba também será usada para modernizar outras 150 instituições de ensino, transformando-as também em “Escolas do Futuro”. A população tem até o dia 16 de agosto para participar de uma Consulta Pública on-line e opinar sobre as obras.
O objetivo do projeto, que conta com financiamento parcial do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), é preparar os estudantes da rede pública estadual para a sociedade e o mundo do trabalho do século XXI. Por isso, as “Escolas do Futuro” passarão também por mudanças pedagógicas e inserção de tecnologias educacionais de ponta no currículo.

Leia Também:  Saúde distribui mais 423 mil vacinas contra a Influenza

 


ESCOLAS DO FUTURO – As “Escolas do Futuro” terão alto grau de modernidade e conectividade, com painéis solares, sistemas sustentáveis de iluminação e ventilação, além de cisternas para armazenamento de água da chuva.
As novas escolas também contarão com Laboratórios de Educação Profissional, de Biologia, Física, Química e Informática. As escolas também terão Espaços Makers e de Robótica, além de salas de projetos, teatro, biblioteca e quadras poliesportivas.
As imagens do projeto podem ser conferidas no site da Consulta Pública.
CONSULTA PÚBLICA – O projeto está aberto para Consulta Pública on-line até o dia 16 de agosto. O objetivo é recolher opiniões da população sobre as obras que devem iniciar já nos próximos meses. A participação da população pode ser feita pelo site www.educacao.pr.gov.br/consultapublica. No link os paranaenses também encontram imagens de como ficarão as escolas no Estado.
As dúvidas da população levantadas na Consulta Pública serão respondidas em uma transmissão ao vivo no dia 17 de agosto.
NOVAS ESCOLAS – Ao todo serão cinco unidades, três delas com locais já definidos. São eles:
Cascavel
Endereço: Rua Fernando de Noronha, nº 3.105 – Bairro Florestal/Riviera
Previsão de vagas: 2.000 a 2.500 estudantes.
Ponta Grossa
Endereço: Rua Antônio Olavo Branco Martins, s/n – Bairro Contorno
Previsão de vagas: 2.000 estudantes.
Fazenda Rio Grande
Endereço: Rua Paraná, s/n – Bairro Estados.
Previsão de vagas: 2.000 a 2.500 estudantes.
Curitiba também deve receber uma unidade nova, assim como São José dos Pinhais, mas os locais ainda serão definidos.
As outras 150 escolas que passarão por reformas e serão modernizadas ainda serão definidas com base de uma série de critérios definidos pela Secretaria da Educação e pelo BID.

Leia Também:  Ladrões furtam R$ 1 milhão em defensivos agrícolas de empresa na região de Goioerê

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

Desemprego recua em 22 estados no segundo trimestre, diz IBGE

Publicados

em

O movimento que reduziu a taxa de desemprego a 9,3%, o menor nível desde 2016, foi guiado por 22 estados, refletindo a redução disseminada do número de profissionais desocupados no segundo trimestre de 2022.

No período, outros Amapá, Ceará, Rondônia, Mato Grosso e o Distrito Federal registraram estabilidade na movimentação do mercado de trabalho, mostram dados divulgados nesta sexta-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O estado de Pernambuco registrou o maior recuo da taxa de desemprego na passagem do primeiro para o segundo trimestre: com queda de 3,5 pontos percentuais na taxa de desocupação, de 17% para 13,6%. Alagoas, Pará, Piauí e Acre também se destacaram, com quedas de cerca de 3 pontos percentuais.

Já no confronto anual, contra o segundo trimestre de 2021, todas as 27 unidades da federação  tiveram queda significativa da taxa de desocupação.

Conforme os dados da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), as maiores taxas de desocupação ao final do segundo trimestre foram apuradas na Bahia (15,5%), em Pernambuco (13,6%) e no Sergipe (12,7%), e as menores, em Santa Catarina (3,9%), no Mato Grosso (4,4%) e no Mato Grosso do Sul (5,2%).

Leia Também:  Família informa que é grave estado de saúde do deputado Schiavinato

A pesquisa mostra ainda que 73,3% dos empregados do setor privado tiveram a carteira assinada no segundo trimestre de 2022, com destaques para Santa Catarina (87,4%), São Paulo (81,0%) e Paraná (80,9%). Na parte debaixo do ranking ficaram Piauí (46,6%), Maranhão (47,8%) e Pará (51%).

Desigualdade

O estudo revela ainda que, enquanto as taxas de desocupação das pessoas brancas (7,3%) e de homens (7,5%) ficaram abaixo da média nacional (9,3%), as das mulheres (11,6%) e de pessoas pretas (11,3%) e pardas (10,8%) continuaram mais altas no segundo trimestre deste ano.

A coordenadora de trabalho e rendimento do IBGE, Adriana Beringuy, afirma que, apesar da redução generalizada na taxa de desocupação em diversos recortes, a distância entre homens e mulheres no mercado de trabalho ainda é grande.

“A queda foi maior entre as mulheres, de 2,2 pontos percentuais, contra 1,6 ponto dos homens, porém, não foi o suficiente para diminuir a distância entre eles. A taxa [de desocupação] das mulheres é 54,7% maior que a dos homens”, lamenta Adriana.

Leia Também:  Produtor paranaense da cidade de Goioerê assume presidência interina da Aprosoja Brasil

O recuo disseminado da taxa de desocupação também atingiu o recorte cor ou raça. “A taxa em relação aos pretos e pardos em relação aos brancos aumentou”, explica a pesquisadora. No recorte por idade, a taxa de desocupação de jovens de 18 a 24 anos recuou de 22,8% para 19,3%. “Foi, entre as faixas etárias, onde mais caiu. Mas ainda sim, é uma taxa bastante elevada, bem acima da média”, completa ela.

Por R7

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA