conecte-se conosco


Geral

Vírus Nipah, com 50% de letalidade, pode causar próxima pandemia, diz pesquisadora de Oxford. Saiba os sintomas e como se prevenir

Publicados

em

Vírus Nipah, com 50% de letalidade, pode causar próxima pandemia, diz pesquisadora de Oxford
Sarah Gilbert alerta que o vírus tem 50% de letalidade e nenhuma vacina até o momento se mostrou eficaz contra o patógeno

No tópico: Pandemia
Durante um evento no Reino Unido, a pesquisadora Sarah Gilbert, responsável pelo desenvolvimento da vacina de Oxford contra o coronavírus, afirmou que a próxima pandemia mundial pode ser do vírus Nipah.

 

 

 

Com mortalidade de cerca de 50%, o vírus passa para humanos pelo contato com porcos infectados ou frutas contaminadas com urina e fezes de morcegos. Os primeiros sintomas são febre, dor de cabeça e problemas respiratórios, mas o quadro pode evoluir para inchaço do cérebro e deixar o paciente em coma ou levar à morte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saiba os sintomas e como se prevenir do vírus Nipah, que pode causar próxima pandemia

O Nipah é um vírus que pertence à família Paramyxoviridae e é responsável pela doença de Nipah. O patógeno pode ser transmitido por meio do contato direto com fluidos ou excrementos de morcegos infectados, ou através do contato pessoa-pessoa.

Essa doença foi identificada pela primeira vez em 1999 na Malásia, mas já foi verificada em outros países como Singapura, Índia e Bangladesh, e leva ao aparecimento de sintomas semelhantes aos de uma gripe. Os sinais da condição podem evoluir rapidamente e resultar em complicações neurológicas graves que podem colocar a vida da pessoa em risco.

A mortalidade da infecção é de 50%: pesquisadores acreditam que, se o vírus evoluir para uma forma mais transmissível, pode ser responsável por causar a próxima pandemia.

Principais sintomas

Em alguns casos, a infecção pelo vírus Nipah pode ser assintomática ou levar ao aparecimento de sintomas leves semelhantes aos de uma gripe e que desaparecem após 3 a 14 dias.

 

Leia Também:  ILHADOS – Rio transborda entre os municípios São João do Ivaí e Godoy Moreira

No caso das infecções em que há aparecimento de sintomas, estes surgem entre 10 a 21 dias depois do contato com o vírus, sendo os principais;

  • Dor muscular;
  • Encefalite, que é a inflamação do cérebro;
  • Desorientação;
  • Náuseas;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Diminuição das funções mentais, que pode evoluir para o coma em 24 a 48 horas.

Os sintomas de infecção pelo vírus Nipah podem evoluir rapidamente, resultando em complicações que podem colocar a vida da pessoa em risco, como convulsões, transtornos da personalidade, insuficiência respiratória ou encefalite mortal, que acontece como consequência da inflamação crônica do cérebro e das lesões causadas pelo vírus.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da infecção pelo vírus Nipah deve ser feito pelo infectologista ou clínico geral a partir da avaliação inicial dos sinais e sintomas apresentados. Pode ser indicada a realização de exames especiais para isolar o vírus e sorologia para confirmar a infecção e, assim, iniciar o tratamento mais adequado.

O segredo para comprar na Shopee que as pessoas não sabem

 

Além disso, o médico pode indicar a realização de exames de imagem para avaliar a gravidade da doença, sendo recomendada a realização de tomografia computadorizada ou tomografia computadorizada.

Como é feito o tratamento

Até o momento, não existe tratamento específico para a infecção pelo vírus Nipah. No entanto, o médico pode indicar medidas de suporte de acordo com a gravidade da doença: repouso, hidratação, realização de ventilação mecânica ou tratamento sintomático podem ser recomendados.

Alguns estudos in vitro estão sendo feitos com o antiviral ribavirina, porém, não existem evidências de que o medicamento teria atividade contra a doença em humanos. Estudos com anticorpos monoclonais em animais também estão sendo realizados, mas ainda não há resultados conclusivos. Além disso, não existe vacina para prevenir essa infecção.

Como se trata de um vírus emergente, com potencial para se tornar endêmico, o Nipah encontra-se na lista de prioridade da Organização Mundial de Saúde (OMS) para identificação de medicamentos que poderiam ser utilizados no tratamento da doença e desenvolvimento de vacinas para prevenção.

Prevenção da infecção pelo Nipah

Como ainda não existe tratamento eficaz contra o vírus Nipah e vacina que possa ser aplicada como forma de prevenção, é importante que algumas medidas para diminuir o risco de infecção e transmissão da doença sejam seguidas, como por exemplo:

  • Evitar o contato com animais potencialmente infectados, principalmente morcegos e porcos;
  • Evitar o consumo de animais possivelmente infectados, principalmente quando não estão devidamente cozidos;
  • Evitar o contato com fluidos e excrementos de animais e/ou pessoas infectadas pelo vírus Nipah;
  • Higienização das mãos após entrar em contato com animais;
  • Uso de máscaras e/ou luvas quando em contato com uma pessoa infectada pelo vírus Nipah.

Além disso, a lavagem das mãos com água e sabão é fundamental para eliminar agentes infecciosos que possam estar presentes na mão e evitar a transmissão da doença.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Jovem acorda nua em cama de motel após festa e denuncia estupro

Publicados

em

Jovem acorda nua em cama de motel após festa e denuncia estupro

Vítima prestou depoimento à polícia e passou por exame de corpo de delito
Uma jovem, de 19 anos, denunciou ter sido estuprada após sair de uma festa e acordar em um motel neste domingo (10), em Paranaguá, no Litoral do Paraná. A polícia já está ouvindo pessoas que possuem ligação com o caso. As informações são do JB Litoral.

Segundo o Boletim de Ocorrência registrado na delegacia, a jovem diz ter ido a uma festa com amigas em um local bastante conhecido na cidade na noite de sábado (9). A garota afirma, ainda, que permaneceu com as amigas até as 2 horas da madrugada. Depois disso, porém, não se recorda do que ocorreu.

A jovem relatou à polícia que acordou sem roupas em uma cama de motel e um homem estava ao lado dela. O suspeito teria alegado à garota que a ajudou a sair do bar e a levou para dormir.

Conforme noticiou o JB Litoral, ela percebeu que seu shorts estava rasgado ao se vestir e que sua bolsa com documentos e dinheiro havia sumido. Em seguida, ela teria chorado e pedido ao homem que a levasse para casa.

Vítima já prestou depoimento e passou por exame de corpo de delito – Foto: Diogo Monteiro/JB Litoral
A vítima, já acompanhada de sua mãe, foi atendida em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), pois não conseguia retirar o absorvente que ficou alojado em seu corpo. Na sequência, ela foi encaminhada ao Hospital Regional do Litoral para passar por exames.

Vídeo
Em um vídeo que circula pelas redes sociais, a vítima aparece sendo carregada por dois homens para fora do bar onde estava com as amigas. Algumas pessoas acompanham a saída da jovem.

Preferimos não divulgar o vídeo para preservar a jovem.

Posicionamento do bar
Em nota, o Mahle Bar e Restaurante afirmou que o caso “desagrada” a administração do estabelecimento e afirmou que se solidariza com a família da jovem. Leia abaixo trechos da nota divulgada nas redes sociais:

 

Leia Também:  Temporal derruba torre da Rádio Vale Verde de Jesuítas. Rajadas chegaram a 100 quilômetros por hora no município

“No dia 09/10/2021, recebemos em nossa casa jovens da cidade, que fizeram muita festa, porém, um episódio que muito nos desagrada aconteceu e é importante que possamos esclarecer à comunidade parnanguara e às pessoas envolvidas nossa posição com relação ao ocorrido.

Apesar da alegada violência ter ocorrido fora das dependências de nosso restaurante, nos solidarizamos com a família e estamos comprometidos com a adoção de medidas ainda mais rigorosas de segurança.

Estamos colaborando ativamente com as investigações pois repudiamos qualquer ato de violência contra a mulher. Todas as imagens do local estão sendo compartilhadas com a Polícia Civil para apuração de responsabilidades e esperamos que a Justiça seja feita.

Nos colocamos à disposição da família e polícia para esclarecimentos necessários.

Grupo Mahle”

Investigação
Em entrevista ao JB Litoral, o delegado Nilson Diniz disse que as investigações sobre o suposto estupro tiveram início no momento em que o Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia.

De acordo com ele, imagens das câmeras de monitoramento do bar onde a vítima estava já foram solicitadas pela polícia.

“A Polícia Civil já tomou todas as ações e medidas necessárias para o início das investigações. A própria mulher que aparece sendo retirada do local já foi ouvida e encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame de corpo de delito”, disse o delegado.

Diniz ainda afirmou que os homens que aparecem carregando a jovem no vídeo já foram identificados.

Da Banda B

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA