conecte-se conosco


Geral

Butantan pede autorização para testar soro contra covid-19 em humanos

Publicados

em

O Instituto Butantan encaminhou nesta semana à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido de autorização para testar um soro, desenvolvido pelo instituto, em pacientes com covid-19. De acordo com o Butantan , o soro, que é produzido em cavalos, pode ajudar a reduzir a letalidade e a gravidade da doença e aliviar o sistema de saúde.
O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que o estudo inicial seria feito com pacientes transplantados de rim do Hospital do Rim e pacientes com comorbidades do Hospital das Clínicas, na capital paulista.


A Anvisa informou que já recebeu o pedido de autorização dos testes, que está em análise técnica., mas ressaltou que o Butantan ainda não entregou o Dossiê Específico de Ensaio Clínico, que contém o protocolo clínico do estudo a ser realizado. Segundo a Anvisa, o dossiê é o principal documento para a avaliação e é obrigatório.
A expectativa do Butantan é que os testes sejam autorizados pela Anvisa na próxima semana.

O SORO
O soro está sendo testado em animais como coelhos e camundongos e já demonstrou que estes tiveram diminuição da carga viral e perfil inflamatório reduzido. Além disso, os animais apresentaram preservação da estrutura pulmonar. Os estudos clínicos estão sendo conduzidos pelo infectologista Esper Kallás, da Universidade de São Paulo, e pelo nefrologista José Medina, que integram o Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo.
O soro foi produzido a partir da inoculação do vírus inativo em cavalos. O corpo dos animais reage ao microrganismo e produz anticorpos para combater a infecção. Depois, o sangue dos equinos é coletado e esses anticorpos são isolados para que possam ser usados contra a doença. É esse produto que está sendo testado em roedores que foram inoculados previamente com coronavírus.
“Este soro, em testes pré-clínicos, demonstrou que é seguro e efetivo em dois tipos de estudos animais”, afirmou Dimas Covas.

Com os resultados positivos em animais, agora os pesquisadores querem testá-lo em humanos. O objetivo é verificar a segurança e a eficácia do soro em pacientes já infectados com o novo coronavírus. Três mil frascos de soro estão prontos para o início imediato dos testes em humanos.
Caso o soro apresente a eficácia esperada nos testes feitos em humanos, poderá ser usado para tratar pacientes que já estejam infectados e apresentem sintomas. “Os animais que foram tratados tiveram o pulmão protegido, ou seja, não desenvolveram a forma fatal da infecção pelo coronavírus, mostrando que os resultados de estudos em animais são extremamente promissores. Esperamos que a mesma efetividade seja demonstrada agora nos estudos clínicos que poderão ser autorizados na próxima semana [pela Anvisa]”, acrescentou Covas.
Agência Brasil

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pentágono confirma que vídeo com OVNIs em forma de pirâmide é autêntico
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Pentágono confirma que vídeo com OVNIs em forma de pirâmide é autêntico

Publicados

em

O Pentágono confirmou, na terça-feira, 13, que são reais as imagens divulgadas em um vídeo sobre objetos voadores não identificados (OVNIs) no céu da Califórnia, nos Estados Unidos. Em abril de 2020, o governo americano havia retirado o sigilo dos vídeos gravados de um navio da Marinha.
O vídeo foi publicado pelo documentarista Jeremy Corbell em seu Twitter na semana passada. Nas imagens gravadas com algum equipamento de visão noturna é possível ver ao menos três objetos triangulares no céu. Um deles parece emitir alguma luz que fica piscando.
Na mensagem, Corbell diz: “A Marinha dos Estados Unidos fotografou e filmou OVNIs em forma de “pirâmide” e veículos transmédios avançados “esféricos”; aqui está a filmagem.” De acordo com Corbell, o vídeo foi feito em julho de 2019.

 

 

A imagem mostra os OVNIs se movendo rapidamente enquanto eram gravados por câmeras com sistema infravermelho (térmicas). Em dois dos vídeos, é possível ouvir a reação dos responsáveis pela gravação, que parecem assustados com a velocidade de movimento dos objetos. Um deles questiona se aquilo poderia ser um drone.


De acordo com o especialista em OVNIs e porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Sue Gough, em entrevista ao site Mystery Wire, o vídeo foi gravado por oficiais do navio USS Russell e que os objetos eram similares a “pirâmides voadoras”.

 

Leia Também:  Pesquisa constata reinfecções de covid-19 com sintomas mais fortes

 

Apesar de o vídeo ter a autenticidade comprovada, Sue Gough não confirma que os objetos são reais. Em entrevista ao portal Futurism, ela destaca apenas que o registro está entre as pesquisas em andamento.

A Marinha dos EUA reconheceu a veracidade das imagens em setembro de 2019. Elas foram divulgadas, ano passado, “para esclarecer qualquer equívoco por parte da população sobre se as imagens que circulavam eram reais, ou se há ou não mais vídeos”, ainda de acordo com Sue Gough.
“Após uma revisão minuciosa, o departamento determinou que a divulgação autorizada desses vídeos secretos não revela quaisquer recursos ou sistemas delicados”, disse Gough em nota, acrescentando que “não infringe qualquer investigação subsequente de incursões militares espaciais”, afirmou Gough à CNN, em abril de 2020. (Com agências internacionais)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

GOIOERÊ

Rancho Alegre D`Oeste

Juranda

Quarto Centenário

Boa Esperança

Farol

MAIS LIDAS DA SEMANA